Opinião

Monday, October 16, 2006

Estava em 2002 chefiando uma obra onde trabalhavam 15 homens; andava pelo canteiro observando e checando o que estava sendo feito quando um servente, dentro de um buraco que ele estava cavando para uma fundação, atendeu o telefone; era a namorada dele que estava a mais de 250 km de distância, em Nova Iguaçú - RJ. Nós estávamos em Barra do Piraí.
Pensei comigo: essa cena merece uma foto; um servente atendendo telefone celular dentro de um buraco perdido no meio do mato às margens do rio Paraíba. Isso ha apenas 4 anos atráz era utopia e jamais poderia acontecer. Celular? só quem tinha muito dinheiro. R$ 4 000,00 no mínimo para se ter um, tijolão analógico. Pensei também que só a privatização e a livre concorrência tornou possível tal feito.
Hoje, 2006, vejo Presidente da República defendendo empresa Estatal. É um retrocesso, uma covardia com um povo que quer progredir.
Pena que o povo tem memória curta.